Seguidores

domingo, 31 de outubro de 2010

Entrevista com um Grande Amigo Artesão

Criei este espaço para bater um papo com amigos e falarmos de artesanato para valorizarmos nosso setor e comentarmos sobre o que mais amamos fazer. Espero que gostem. Meu convidado de hoje é Marcelo Darghan.



Minha visão do Marcelo Darghan - Dinâmico, inteligente e um artesão criativo e revolucionário, pois o Artesanato Brasileiro teve uma projeção grandiosa do antes e depois que Marcelo passou a divulgá-lo quer na TV, quer nas revistas e até internacionalmente. Ele também é o Criador do Projeto Artesão do Ano.

Esther – Como você se sente a cada ano no processo de organização e preparação do evento?

Marcelo - Sempre muito ansioso! É muita responsabilidade realizar este prêmio, por isso fico muito atento a tudo, mas depois é uma grande realização.

Esther – Qual o seu principal objetivo ao criar este projeto?

Marcelo - Valorizar o artesão como profissional, reconhecer o talento e mostrar que é possível viver de artesanato, dando o devido valor à profissão e ao artista.

Esther – Todos sabemos que a Mega Artesanal é o sonho do artesão brasileiro. Então qual o conselho daria àqueles que desejam participar deste evento para não errar?

Marcelo - No momento que alguém resolve expor seu trabalho, seja onde for, essa pessoa deve se preocupar com o que vai oferecer, seu produto tem de ser diferenciado, seja na criação, apresentação, técnica ou elaboração, mas todos, sem exceção, devem ser extremamente bem acabados, somente assim o produto terá valor e não preço. Hoje , o profissional de qualquer área deve colocar valor ao seu produto, o que é bem diferente de preço.
O cuidado, aliado à humildade, paciência e atenção, farão do artista , um profissional de sucesso. A concorrência é grande. Faça diferença.

Esther – Recentemente você protagonizou a capa de mais uma revista. Você ainda se emociona quando há uma nova publicação dos seus trabalhos?

Marcelo - Sempre! Pareço criança esperando sair a publicação, seja ela qual for, a emoção é a mesma de sempre e a primeira coisa que faço quando vejo a revista ou o programa de TV é ligar para minha mãe para saber o que ela achou! Espero que isso nunca mude!

Esther – E o que te inspira na criação de um novo projeto?

Marcelo - Milhares de coisas, meus sobrinhos, a época do ano (primavera, natal, páscoa,... ) , viagens, a lua, o sol, a música, são muitas coisas lindas nesse mundo que me inspiram.

Esther – Já faz quantos anos deste da 1ª publicação de um trabalho seu em revistas?

Marcelo - A primeira peça publicada que tive foi em Setembro de 1990 na revista Faça Fácil, a segunda dias depois na revista Manequim. Ou seja , são 20 anos de peças publicadas.

Esther – Você participa de diversos programas de televisão dando dicas de artesanato. ok.
Na sua opinião este espaço é suficiente ou poderia ser ampliado para que mais técnicas e mais artesãos divulgassem seus conhecimentos e o artesanato brasileiro?

Marcelo - Acho que o espaço ao artesão é muito limitado, mesmo tendo vários programas com esse tipo de trabalho, acho que ainda é pouco tempo e pouco espaço aos novos, ainda temos sempre as mesmas pessoas ensinando quase sempre as mesmas coisas, poderíamos ter muito mais espaço para o artesanato e para pessoas novas do mercado.

Esther – Que dica você daria a quem vai participar pela primeira vez de um programa de TV?

Marcelo -
1 - Calma, muita calma, nem a apresentadora, nem a câmera vão te morder.
2 - Humildade, as pessoas normalmente gostam de ficar expondo todas as suas múltiplas habilidades e esquecem de passar a informação completa. Não se esqueça do seu papel.
3 - Lembre-se : quem tem de se preocupar com o tempo é a apresentadora , se alguém fica botando pressa, não é você que deve se preocupar com isso.
4 - Respeite as regras do programa, nem sempre é possível divulgar tudo que você quer. Divulgue o telefone e depois passe as informações completas aos interessados.
5 - Não adianta ir à TV e depois achar que é inatingível, se vc quer aparecer tem de ter paciência e educação com quem admira seu trabalho.
6 - Faça algo que seja diferenciado. Marque sua presença.


Esther – Para você o artenasato brasileiro é mais valorizado no nosso país ou no exterior?

Marcelo - Essa questão é muito relativa, mas estrangeiros valorizam mais de forma geral.

Esther – Como um artesão deve proceder para ser um artesão regularizado e sair do anonimato?

Marcelo - Depende de cada estado, artesão não é profissão, portanto cada prefeitura e governo do estado tem regras diferentes, a melhor opção é ir ao SEBRAE da sua cidade e pedir informações a respeito. O SEBRAE tem programas específicos aos artesãos para regularização e comércio.

Esther – Agradeço a sua participação. Saiba que fiquei muito emocionada e feliz. Grande beijo.

Marcelo -
Eu que agradeço a atenção e carinho, espero ser útil ao leitor e convido-os a lerem meu blog : www.marcelodarghan.blogspot.com e visitarem meu site : www.marcelodarghan.com.br .
No que precisar é só chamar.
Beijos,
Marcelo Darghan

Objetivo destas entrevistas é valorizar o artesão brasileiro cada vez mais.
Está entrevista foi realizada por e-mail.
Gostaram da novidade. Aguarde em breve novas entrevistas.
Esther Almeida

Um comentário:

STILO BASICO disse...

Parabéns Esther pela bela entrevista , o Marcelo é mesmo uma figura admirável no mundo do artesanato.

bjim